Não repara a bagunça.

Texturas de Memória

A vigília tem o tempo da noite fria, o sabor da boca do café amargo e os ritos da resistência. Neste momento, reis e rainhas são invocados. Pedimos “licença” e fazemos o pó deixar de pairar nesse terreno de passagem. Então, música e dança são instrumentos da sagração de um desejo em comum.

O ladrilho é o espaço de materialização das forças de uma ideia. Olhares são guiados aos céus e um pedido de bênção é destinado aos ares. A devoção do inquieto marcha enquanto os olhos dos covardes passeiam e os sonhos dos desesperançosos vagam.

Aquilo que tem morada distante, aproximasse. Percebam as palmas que acalentam a chegada da redenção.

Suspiremos.

Cada encontro esfumaça os pensamentos de quem crê. Saia rodada que ilumina e suspende o delírio. É reivindicado endireitar-se ao descanso, ao imaginário e não ao inferno do passado.

Toda conversa honesta é uma confissão a beira mar…

Ver o post original 33 mais palavras

Anúncios

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s