Aí de mim.

O poeta que há em mim.

A noite desceu suas cortinas
Restando escuridão e ilusão
Se teu perfume dissipou
No ar então restou a saudade

Aí de mim
Voltar a sofrer
Se eu morrer
Foi por culpa minha

A lua vestia sua camisola
Cor negra e cheia de estrelas
Ela simboliza você
Pálida e sem amor

Aí de mim
Voltar a sofrer
Se eu morrer
Foi por culpa minha

As chances foram muitas
O brilho não está mais em seu olhar
A razão é um adereço
Se for o fim eu mereço

Aí de mim
Voltar a sofrer
Se eu morrer
Foi por culpa minha.

Ver o post original

Anúncios

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s