O VENTO MORNO DA TARDE

Standard

Contos e Crônicas - Uma experiência literária

O vento morno da tarde tocou o seu rosto e trouxe a seu espírito uma paz que não sentia a tempos.

Estava cansada, muito cansada, de tudo e de todos. O mundo era grande demais para seus ombros. E era ainda maior, imenso, pois o egoísmo era como uma doença que ressecava o espírito e aumentava a distância entre as pessoas, fazendo com que um pedaço de terra de dez metros quadrados pareça conter milhares de anos-luz. A cada passo nesse longo e cruel caminho da vida, mesmo em meio à multidão, parecia que a próxima alma amiga estava sempre à quilômetros de distância. E esse doloroso distanciamento de almas era demasiado cansativo para ela, sua vida estava a cada dia mais pesada, seus músculos mais tensos e sentia-se cada vez mais só. A desilusão, como uma erva daninha, assomava-se a suas horas de vida, principalmente nestes últimos dias, onde…

View original post mais 751 palavras

Anúncios

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s