O VENTO MORNO DA TARDE

Contos e Crônicas - Uma experiência literária

O vento morno da tarde tocou o seu rosto e trouxe a seu espírito uma paz que não sentia a tempos.

Estava cansada, muito cansada, de tudo e de todos. O mundo era grande demais para seus ombros. E era ainda maior, imenso, pois o egoísmo era como uma doença que ressecava o espírito e aumentava a distância entre as pessoas, fazendo com que um pedaço de terra de dez metros quadrados pareça conter milhares de anos-luz. A cada passo nesse longo e cruel caminho da vida, mesmo em meio à multidão, parecia que a próxima alma amiga estava sempre à quilômetros de distância. E esse doloroso distanciamento de almas era demasiado cansativo para ela, sua vida estava a cada dia mais pesada, seus músculos mais tensos e sentia-se cada vez mais só. A desilusão, como uma erva daninha, assomava-se a suas horas de vida, principalmente nestes últimos dias, onde…

Ver o post original 751 mais palavras

Anúncios

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s