A melodia do desejo sexual

Agora que o frio chegou, falta-me um corpo que me aqueça de um jeito diferente, de um jeito quente e devorador.
Falta-me a tua pele macia para me fazer estremecer.
Falta-me o teu olhar para me perder em ti.
Falta-me a tua voz aos meus ouvidos.
Falta-me o teu beijo para sentir o teu sabor.
Falta-me o teu toque que incendeia o meu corpo.
Faltas-me tu! E falta-me o teu corpo.

Este desejo à flor da pele despido de emoções e conduzido pela vontade de sexo, numa procura intensa de becos, atalhos e recantos secretos numa tentativa de saciar a sua fome. Procura intensa pelo prazer, desejo e sedução que se deixa alimentar de todas as formas possíveis pela tesão. O aroma a sexo paira no ar, com essa musica que toca ao som de dois corpos possuídos pelo desejo e pela tesão, os gemidos fazem-se ouvir num ritmo coberto de suspiros levados pelos corpos indefesos que já não conseguem esconder as suas intenções. Entre dedos incontroláveis e bocas aflitas que percorrem essa carne nua exposta e quente, tomam conta do desejo e formam uma melodia sexual que se transforma em orgasmo.
E num olhar vadio, corre uma febre de sensualidade em nós!

O noite já escureceu e eu preciso de dormir, mas nem sempre conseguimos fazer o que precisamos de fazer.
Lembro-me de ti e a noite cai em cima de mim. Entre voltas e mais voltas infernais na cama, só está o meu corpo gélido aqui despido de ti e inquieto por ti.
A chuva cai lá fora com uma intensidade e de desejo de te ter aqui.
Falta-me tudo! Faltam-me os teus dedos, a tua força, a tua voz, o teu cheiro, a tua boca… faltas-me tu!
Este ritmo da chuva a cair lá fora num som ritmado e forte, faz com que este som invada todo o meu corpo na procura por ti e pelo teu corpo.

Sinto que já te estou a tocar e a tua pele arrepia só pelo meu toque. Fecho os olhos e sinto a tua boca a percorrer todo meu corpo. Passo as mãos pelos teus seios e depois deslizam pelo teu corpo.
Quero-te sentir e quero que me sintas também em ti.
Quero sentir o teu gosto e tu o meu.
Quero-te sem piedade e bandida.
Quero-te forte, feroz e brutal.
Quero o inferno e o paraíso.
Quero perder o ar e ganhar vida em ti.
Quero sentir a tua boca em mim e quero que sintas a minha língua em ti.
Quero que sintas a língua te penetrando com força.
Quero-te devagar, mas com uma respiração bem ofegante.
Quero que cavalgues bem forte e de um jeito louco até explodir dentro de ti.
No fim caídos de cansados e suados, ficamos quietos olhando-nos num jeito carinhoso de uma forte vontade de voltarmos a recomeçar.

O tempo parou!
Tudo parou à nossa volta, menos nós.
O tempo foi nosso amigo. Ou talvez tivéssemos sido nós amigos do tempo, por não termos tido medo do tempo para nos amarmos ali mesmo na altura sem medos ou receios, apenas só porque sim, porque assim queríamos e desejamo-nos um ao outro.
E só por isto o tempo dá-nos todo o tempo do mundo. Porque para amar e fazer o amor, não há lugar, não há hora, não há nada mais certo que a vontade de dois seres humanos quererem ser felizes quando assim sentem vontade.
Façam o Amor!

Filipe Miguel

A melodia do desejo sexual

Anúncios

2 comentários

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s