Boa noite

Standard

Boa noite!
“Lê com os olhos e observa com o coração. A sabedoria está em saber ver para além das aparências!”

Filipe Miguel

Podem acompanhar tudo aqui:
https://filipemiguel.blog

Anúncios

Viking Ultimate World Cruise – 18º dia: Tórshavn, Ilhas Faroe

Standard

1º e 2º dia: Londres (Greenwich), Inglaterra
3º dia: Dover, Inglaterra
4º dia: Cruzeiro Panorâmico: Canal Inglês
5º dia: Dublin, Irlanda
6º dia: Liverpool, Inglaterra
7º dia: Holyhead, País de Gales
8º dia: Belfast, Irlanda do Norte
9º dia: As Terras Altas (Ullapool), Escócia
10º dia: Kirkwall, Escócia
11º dia: Edimburgo, Escócia
12º dia: As Terras Altas (Invergordon), Escócia
13º e 17º dia: Lerwick, Escócia
14º, 15º e 16º dia: Bergen, Noruega

18º dia: O que poderá fazer, visitar e explorar?
Tórshavn, Ilhas Faroe

old city of Thorshaven, Denmark, Faroe Islands, Thorshaven
Explore o legado dos vikings nas pitorescas Ilhas Faroe, localizadas a meio caminho entre a Noruega e a Islândia. Outrora o lar do Parlamento Viking, a capital da ilha, Tórshavn, ocupa a península mais histórica do arquipélago. Durante a sua visita, um passeio panorâmico revela os fiordes de tirar o fôlego de Kaldbak e Kollafjørdur, magníficas vistas da ilha e uma rica cultura de pesca do salmão, tudo infundido com um espírito nórdico acolhedor.

Vistas das Ilhas Faroe

Vistas das Ilhas Faroe.jpg
Conheça as Ilhas Faroe através das paisagens deslumbrantes de Streymoy, rico em cultura Viking e cultura de pesca. Comece com um passeio até a península rochosa de Tinganes, no porto de Tórshavn, sede do Parlamento Viking, e ainda hospede os prédios do governo das ilhas. Em seguida, trace a estrada panorâmica ao longo do trilho sul da Ilha Streymoy, parando acima de Tórshavn para fotos. Você continuará a Nororadalur (o Vale do Norte), onde em dias claros você terá visões da ilha de Koltur. Mais ao norte, maravilhe-se com os fiordes de Kaldbak e Kollafjørdur. Mais tarde, as estradas sinuosas conduzem a um vale pitoresco, onde você vai parar para admirar as escadas de pedra salmão talhadas à mão que levam ao Lago Leynar. No caminho de volta ao seu navio, a estrada leva-nos por um túnel de três quilómetros e ao longo da costa de um fiorde, onde você pode ver salmões saltando em fazendas marinhas.

A ilha de Vágar

A ilha de Vágar.jpg
Viaje até o mais ocidental das grandes Ilhas Faroe, atravessando as impressionantes estradas costeiras e as paisagens montanhosas. Você dirigirá com o seu guia para o Vágatunnilin, um túnel submerso de três quilómetros até Vágar. Quando você sair, vá para a charmosa vila de Sandavágur, parando para visitar a igreja de telhado vermelho visualmente impressionante. A cidade foi estabelecida pela primeira vez por Viking Torkil Onundarson. Passe por Miðvágur e continue até Vatnsoyrar, onde fica o maior lago das Ilhas Faroe. Em seguida, visite Bøur e admire o aglomerado de casas, os telhados de relvados e a igreja coberta de alcatrão. A cidade tem uma vista esplêndida dos dramáticos picos da ilhota de Tindhólmur e da ilha de Mykines ao longe. Depois de uma viagem para Gásadalur, a aldeia mais ocidental da ilha, regresse ao navio através de uma estrada de montanha com incríveis vistas dos fiordes e da capital. Nesta excursão, você viajará por muitos túneis e estradas sinuosas.

Eysturoy

Eysturoy
Explore a ilha acidentada de Eysturoy, lar de 66 picos de montanhas e portos impressionantes. Você encontrará o seu guia e seguirá para o norte pelas aldeias idílicas de Streymoy, a ilha principal. Passando pela antiga estação baleeira de Áir, atravessando o estreito que os locais carinhosamente chamam de “a única ponte sobre o Atlântico” para Eysturoy. Se você quiser, você pode andar a curta distância sobre a ponte. Continue através de uma vista deslumbrante de montanhas agudamente inclinadas, parando para ver duas pilhas de mar distintivo conhecidas como “O Gigante e a Bruxa” e para admirar o pico mais alto do arquipélago, Slaettaratindur, que está a 900 metros. Mais tarde, chegue em Gjogv, onde você pode saborear panquecas caseiras numa pousada próxima e caminhar até o desfiladeiro que abriga os seus barcos de pesca simples. Após o tempo livre, regresse ao navio através de uma estrada de montanha, parando num miradouro para ver a capital de cima.

Penhascos do Mar Vestmanna

Penhascos do Mar Vestmanna
Cruzeiro a bordo num barco local para as espetaculares falésias e grutas que seguem a costa sul de Streymoy. A cidade de Vestmanna, nórdica antiga para “Westman”, já foi um abrigo Viking abrigado. As suas falésias próximas, conhecidas como Vestmannabjørgini, erguem-se a 1.950 pés diretamente do oceano e abrigam grutas escondidas e colônias de papagaios-do-mar, gaivotas e outras aves marinhas. Você vai dirigir com o seu guia para Vestmanna, hoje uma aldeia colorida numa colina inclinada, e embarcar no seu barco. Esta excitante excursão marítima leva-o face a face com as majestosas e maciças faces rochosas. Se os mares e o clima permitirem, você passará por algumas das grutas para ver a cacofonia de aves que nidifica dentro delas. Note que o mar pode estar agitado e exigir comprimidos com enjôo, e que você deve se vestir calorosamente em camadas impermeáveis e usar sapatos com sola de borracha.

Vistas, Vikings e o Woodturner Village

Vistas, Vikings e o Woodturner Village
Obtenha informações sobre a vida diária da aldeia e uma rica herança viking. Você partirá com o seu guia e percorrerá a costa para ver os fiordes de Kaldbak e Kollafjørður. Estradas sinuosas conduzem a um vale pitoresco, onde você vai parar para admirar as escadas de pedra salmão talhadas à mão que levam ao Lago Leynar. Em Leynar, pare para visitar o madeireiro local, que trabalhará com o seu torno e mostrará as complexidades do seu ofício. Continue até à vila de Kvívík, local de um assentamento Viking do século X. Você terá tempo para navegar na fazenda e byre e tomar a serenidade deste lugar tranquilo. Mais tarde, pare em Kollafjørður para visitar uma antiga igreja das Ilhas Faroe, coberta com um telhado de relva; é uma das nove igrejas construídas nas ilhas de 1830 a 1850. Depois de um tempo para explorar, regresse ao navio através de um túnel de três quilómetros.

Safari Marinho

Safari Marinho.jpg
Embarque num barco inflável rígido, ou RIB, para uma excursão emocionante nos fiordes, na busca de aves marinhas e vida marinha. Encontre o seu guia e seja acompanhado ao nosso local de lançamento no porto de Torshavn. Depois de um briefing de segurança, você vestirá o seu colete salva-vidas e outros equipamentos necessários. Em seguida, parta em safari para os fiordes próximos, lar de papagaios, kittiwakes e outras aves marinhas. Você vai se aproximar das falésias para as melhores vistas possíveis da vida selvagem e das rochas que se erguem das águas. Se os mares e o clima permitirem, você passará por algumas das grutas em busca de mais vida selvagem e de experimentar a atmosfera de uma caverna marinha. Note que o mar pode estar agitado e exigir comprimidos com enjôo, e que você deve se vestir calorosamente em camadas impermeáveis e usar sapatos com sola de borracha.

Podem acompanhar tudo aqui:
https://filipemiguel.blog

Os 7 melhores sítios para beber cerveja artesanal no Porto

Standard

Se gosta de cerveja artesanal nacional, internacional, à pressão ou engarrafada, tenho aqui esta lista com os melhores sítios para provar e beber a bebida do momento no Porto!

Brewpub e Tap Room: quais as diferenças?
Antes de começar a desvendar, um por um, os melhores sítios para beber cerveja artesanal, é importante explicar-lhe a diferença entre os termos brewpub e tap room. O primeiro é um pub onde são servidas cervejas de produção própria. Uma tap room é uma sala instalada dentro de uma fábrica cervejeira e tem como principal propósito dar a conhecer a cerveja que é produzida na casa.

Letraria – Craft Beer Garden

Letraria – Craft Beer Garden.png
Nas traseiras do número 101 da Rua da Alegria, em plena cidade Invicta, encontra um refúgio com um amplo jardim e um chafariz que responde pelo nome de Letraria – Craft Beer Garden. E aqui, cerveja artesanal é o que não falta: reúne debaixo do mesmo teto 40 referências, entre as quais destaco a cerveja artesanal minhota, a Letra, e a dinamarquesa Mikkeller. Para elevar a experiência de beber cerveja artesanal, saiba que neste espaço moderno há edições em garrafa que são maturadas em barrica do vinho do Porto e Moscatel para acompanhar tábuas de queijos ou enchidos!

A Fábrica da Picaria

A Fábrica da Picaria.png
A primeira coisa que vai reparar ao entrar na Fábrica da Picaria são as cubas de inox brilhante que ocupam a zona central e percorrem os dois andares do espaço. E não é caso para admiração: é que neste brewpub situado na baixa do Porto não vai encontrar cerveja artesanal engarrafada. O conceito da cervejaria é passar diretamente da “cuba ao copo”, de forma a preservar ao máximo a pureza e a qualidade da cerveja.
Uma das cervejas que vai poder experimentar à mesa das duas salas ou da esplanada do número 72 da Rua da Picaria é a Lager da Fábrica, uma cerveja de marca própria feita de malte Pilsen, aromática, leve, dourada e com espuma cremosa. E como, regra geral, a bebida puxa comida, saiba que a Fábrica da Picaria é famosa pelos seus petiscos. Experimente os pregos de carne de lombo simples ou com queijo da ilha, hambúrgueres, linguiça ou as tábuas de enchidos e queijos.

Catraio Craft Beer Shop

Catraio Craft Beer Shop.png
“Adoramos cerveja”, este é o lema do Catraio Craft Beer Shop, um bar descontraído que tem morada fixa na baixa do Porto desde 2015 e onde os amantes de cerveja artesanal se reúnem de terça a sábado, a partir das 16 horas. E se há alguém que percebe de cerveja são eles: ao entrar vai encontrar uma equipa que está ansiosa por recomendar-lhe uma cerveja ao seu gosto, entre uma oferta de mais de 100 marcas nacionais e internacionais.
Para beber à pressão, na esplanada ou no espaço interior, tem disponível, por exemplo, a Vandoma Rua Escura, Oitava Colina Vila Maria, Weihenstephaner Vitus ou a OPO 74 Red Mosquit. Contudo, para alimentar o espírito da descoberta, todos os meses há novidades e nas cervejas de pressão nunca se repete um barril. E dizemos-lhe mais. Como o Catraio Craft Beer Shop também tem uma loja, pode levar para casa a sua cerveja artesanal preferida!

Bierhaus

Bierhaus.jpg
Apesar de estar em alemão o nome não engana. É uma casa da cerveja, com certeza, ou não fosse esse o lema do novo bar da Rua Cândido dos Reis.
O espaço, onde anteriormente funcionava o bar Trem das 11, foi decorado com o imaginário de uma taberna cosmopolita onde predominam o ferro e a madeira e os tons quentes e castanhos escuros. O balcão é espaçoso e convidativo, mas também há mesas e bancos altos na sala e uma zona mais recatada com mesas, cadeiras e sofás corridos.
A casa tem uma parceria com a Bohemia da Sagres, mas pode-se escolher de entre uma vasta seleção de cervejas à pressão ou em garrafa. Obviamente, há maior atenção para as marcas artesanais e portuguesas, como a Sovina, a Maldita, a Musa, a Topázio e a Letra, mas, nas cerca de 30 referências disponíveis, também há cervejas estrangeiras mais comuns como a Heineken ou a Guiness e algumas mais exóticas como a Isleña. E ainda há cidra para quem quiser variar.
Se a fome apertar, não há problema. A Bierhaus tem vários petiscos para satisfazer os mais exigentes apetites como tábuas de queijos e enchidos, saborosas conservas nacionais (bacalhau, atum, cavala, sardinha e salmão) e as especialidades marinadas da casa servidas em apelativos frascos de vidro (queijo de cabra picante, queijo da ilha, tremoços à madeirense, azeitonas e linguiça picante).

Pausa Bar

Pausa Bar.jpg
O Pausa Bar, é um dos melhores bares de cerveja artesanal no Porto. É um espaço que transpira elegância e intimidade, desde a selecção musical às mesas pequenas, ideais para um encontro romântico ou para um pequeno grupo de amigos.
O Pausa Bar é um dos poucos bares de cerveja artesanal no Porto onde se pode efectivamente pedir e obter um aconselhamento relativamente à escolha da cerveja a beber. Os donos, os irmãos Abílio e José, têm toda a disponibilidade e sabedoria para te aconselharem na escolha da cerveja adequada ao teu palato às próprias custas, já que a política da casa é servir o cliente até este estar satisfeito.
No Pausa Bar encontrarás mais de 40 variedades de cerveja, gins e whiskys, cocktails e algumas opções de vinho de mesa e de vinho do Porto.

Bonaparte Downtown

Bonaparte Downtown.jpg
No Bonaparte Downtown, podes definitivamente encontrar uma sólida selecção de cervejas (mais de 25 variedades, a maior parte das quais da Alemanha e da Bélgica). Podes também encontrar várias opções de whisky (da Escócia, Irlanda e dos Estados Unidos), vinho do Porto e rum.
Algo único no Bonaparte é que podes desfrutar não só de uma bebida como de uma refeição. Por isso, é um dos melhores bares de cerveja artesanal no Porto para assistir a jogos de futebol ou para um encontro romântico.

Cervejaria do Carmo

Cervejaria do Carmo.jpg
A Cervejaria do Carmo é a escolha mais despretensiosa desta lista de melhores bares de cerveja artesanal no Porto. Tem umas mesas no piso térreo, outras no piso superior, e uma magnífica esplanada voltada para o centro da vida noturna do Porto.
A Cervejaria do Carmo tem 14 cervejas diferentes de pressão, sendo a maioria portuguesas. Tem também cerca de 50 cervejas diferentes de garrafa, sendo a maioria portuguesas, dando maior destaque às cervejas da região do Porto.
Aqui poderás também pedir umas tábuas de queijos ou de enchidos, ou até uma francesinha.

Podem acompanhar tudo aqui:
https://filipemiguel.blog

Os 14 melhores sítios para beber cerveja artesanal em Lisboa

Standard

A cerveja é a bebida da amizade, a bebida do convívio, das tardes ao sol, das idas ao café em dias de chuva, é a bebida dos jogos de futebol e também dos estudantes. Mas uma cerveja nunca é apenas uma cerveja.
A cerveja artesanal assume-se como uma das principais escolhas dos dias de hoje e multiplicam-se os locais que comercializam este tipo requintado e também rústico de cerveja.

De Marvila a Alcântara, passando pelo centro, há cada vez mais lugares onde beber e comprar cerveja artesanal em Lisboa.
A cerveja artesanal demorou a impor-se em Lisboa, mas hoje já não vivemos sem ela. E cada vez menos gente encara o consumo como uma “moda”, mas antes como uma evolução natural da nossa relação com a cerveja. Não é por acaso que cada vez mais sítios, desde restaurantes típicos portugueses a auto-intituladas tabernas asiáticas, têm pelo menos uma marca e duas ou três variedades de cerveja artesanal por onde escolher.
E depois há os sítios especializados, onde as pessoas vão de propósito para beber um bom néctar de cevada. Desde restaurantes a brewpubs, bares ou lojas, estes são os melhores sítios para beber cerveja artesanal. É só escolher.

Os melhores sítios para beber cerveja artesanal em Lisboa
Cerveteca Lisboa
Chiado/Cais do Sodré

Cerveteca Lisboa.jpg
Foi o primeiro bar de cerveja artesanal que abriu em Lisboa, a faísca que espoletou a explosão, ou melhor, a expansão da cerveja artesanal na capital. Estávamos em 2014, e mais ninguém apostava em pequenos produtores estrangeiros sem distribuição nacional, nem dava a conhecer tantos novos produtores portugueses. Hoje, custa-nos imaginar Lisboa sem a Cerveteca e a sua selecção de cervejas nacionais e estrangeiras.

Crafty Corner
Cais do Sodré

Crafty Corner.jpg
O Crafty Corner fica numa das zonas mais procuradas pelos turistas em Lisboa e até o nome estrangeiro, parece falar para eles. Pertence aos donos do irish pub Hennessy’s que, após verem a loja que ocupava esta morada fechar, decidiram agarrar a coisa e meter mãos à obra. Tem 12 torneiras de cerveja artesanal portuguesa e mais umas quantas garrafas, mas nada que não se encontre noutros lados.

Delirium Café
Chiado

Delirium Café.jpg
O nome vem das cervejas Delirium da Brouwerij Huyghe. E são essas e outras belgas da mesma cervejeira que dominam o menu do Delirium Café, no Chiado. Sobretudo as suas 25 torneiras. No entanto, também há muitas opções artesanais portuguesas, em garrafa, umas poucas de outros países da Europa e algumas americanas. E um menu que inclui hamburgers e outros petiscos. Mas nem tudo é artesanal.

Dois Corvos Cervejeira
Marvila

Dois Corvos Cervejeira
Pouca gente faz tanta e tão boa cerveja em Lisboa como a Dois Corvos. Além de cervejas como a Avenida, a Metropolitan e a Galáxia, que até se encontram à venda nos supermercados, produzem várias edições mais limitadas, à venda nas lojas e bares da especialidade, e ainda há uma ou outra coisa que nunca sai da fábrica e brewpub da cervejeira, em Marvila. Só por isso, a visita já valia o preço do táxi (ou outro transporte qualquer), mas o espaço tem muita pinta e uns pratos para picar.

Duque Brewpub
Chiado

Duque Brewpub
O Duque Brewpub é uma espécie de quartel-general da cerveja artesanal portuguesa em Lisboa. É ela que corre pelas torneiras e monopoliza os frigoríficos. Há sempre 12 cervejas diferentes à pressão e em rotação constante, incluindo algumas produzidas in loco, e dezenas de garrafas por onde escolher. Têm também umas coisas para petiscar, incluindo uma tosta épica, a Batalha.

Flor de Lúpulo
Beato

Flor de Lúpulo.jpg
A Flor de Lúpulo, na Rua Heróis de Quionga, uma perpendicular da Rua Morais Soares, é uma das boas novidades cervejeiras. O espaço, pintado e movido a rock’n’roll, não é grande, mas o catálogo de cervejas nacionais e internacionais é bastante completo, com umas quantas garrafas que, em Lisboa, só se encontram aqui. E ainda há dez torneiras de onde saem dez distintos tipos de cerveja que prometem provocar dez sorrisos diferentes.

Ground Burger
São Sebastião

Ground Burger
Sim, o Ground Burger é um óptimo restaurante. Mas também é um dos melhores sítios para beber cerveja artesanal na cidade: a carta tem cerca de uma centena de garrafas diferentes, de produtores portugueses e sobretudo estrangeiros, a ainda há mais dez à pressão, incluindo muitas da Mikkeller. É verdade que é mais caro do que a maior parte dos bares e lojas do género, mas tendo em conta a qualidade da comida até se desculpa.

LisBeer
Santa Maria Maior

LisBeer
No espaço do antigo Adufe (e do Aguarela), ali entre a Baixa e Alfama, surgiu no início de 2015 o LisBeer, sem pretensões e com um único objectivo: dar a provar e a beber boa cerveja. Entretanto, o bar mudou de gerência, mas continua tudo mais ou menos na mesma. Especialmente a parte da boa cerveja, com marcas portuguesas e estrangeiras na lista.

Musa
Marvila

Musa.jpg
A Musa abriu o seu pousio ao público em 2017. Fica em Marvila, junta fábrica e bar, com muito bom aspecto e vista para os silos onde a cerveja se faz, e tem uma programação musical regular para acompanhar com os copos. Além das garrafas, fáceis de encontrar em vários restaurantes e lojas da cidade, há 12 bocas recheadas com as cervejas que se produzem ali mesmo, mais uma ou outra convidada.

Quimera Brewpub
Estrela/Lapa/Santos

Quimera Brewpub.jpg
Um túnel que no século XVIII servia de passagem da Cavalaria Real para o Palácio das Necessidades é desde a Primavera de 2016 o Quimera Brewpub, um bar/restaurante com cervejas artesanais e sandes inspiradas nos delis de Nova Iorque. Em tempos foi o wine bar Retiro de Baco. Agora o néctar dos deuses é outro, com half pints e pints de cerveja artesanal produzidas pelos próprios e por outros cervejeiros, (quase) sempre portugueses.

Quiosque Oitava Colina
São Vicente

Quiosque Oitava Colina
Era a esplanada que faltava para o Largo da Graça ficar mesmo cheio de graça e o primeiro espaço aberto ao público pela Oitava Colina, num dos quiosques mais carismáticos da zona, que em tempos serviu de casa de banho para os guarda-freios da Carris e também chegou a ser bilheteira para os eléctricos. Há cinco torneiras por onde corre a cerveja artesanal da marca com a ocasional convidada e as respectivas garrafas.

Taproom Oitava Colina
São Vicente

Taproom Oitava Colina
Depois da fábrica e do quiosque, a 20 de Julho a Oitava Colina inaugurou um gastrobar. Na Graça, como sempre. É coisa simples, com um balcão, bancos altos, umas mesas (a esplanada vem a caminho), garrafas de Oitava Colina e dez torneiras, a maior parte com a cerveja da casa mas com abertura para convidadas especiais, de quando em vez. E depois há a comida, por agora uns petiscos rápidos, sandes, cachorros e chicken wings.

The Beer Station
Santa Maria Maior

The Beer Station
Junto à estação do Rossio e mais virada para os turistas que por ali passam, a Beer Station é um pequeno bar de cervejas artesanais dos mesmos donos do Wine & Pisco, ali mesmo ao lado. Começou por misturar cerveja artesanal lisboeta e internacional, mas tem-se vindo a afastar do estrangeiro. Com 12 torneiras e mais umas quantas garrafas.

21 Brewpub Gallas
Beato

21 Brewpub Gallas.jpg
As cervejas da Gallas já se encontravam por aí, em festivais e um ou outro bar, mas agora têm casa própria. A estrutura do gastrobar, onde em breve vão passar a produzir as cervejas, na cave,permite 15 torneiras de cerveja, mas por enquanto têm sete, entre as quais as suas três de produção própria e mais umas quantas convidadas. Além disso, têm umas quantas garrafas, incluindo algumas de produtores espanhóis.

Podem acompanhar tudo aqui:
https://filipemiguel.blog

Frase do dia, para o dia 7 de Setembro

Standard

“Não existe nenhum passeio fácil para a liberdade em lado nenhum, e muitos de nós teremos que atravessar o vale da sombra da morte vezes sem conta até que consigamos atingir o cume da montanha dos nossos desejos.”
– Nelson Mandela

Podem acompanhar tudo aqui:
https://filipemiguel.blog

Lisbon Beer Week: um mundo de cerveja artesanal em Lisboa

Standard

São cada vez mais os festivais de cerveja artesanal e os espaços dedicados à sua produção e consumo em Lisboa. E o sucesso da Lisbon Beer Week é prova disso. Para a semana chega mais uma edição desta festa que ocupa entre 15 e 23 de Setembro vários pontos da cidade e até inclui uma maratona cervejeira.
A terceira edição do Lisbon Beer Week arranca no sábado, dia 15, com a Rota das Cervejas, que tem como objectivo dar a conhecer as principais fábricas e bares de cerveja artesanal, onde cada participante vai poder experimentar a harmonização entre um prato e a cerveja certa. São várias as visitas guiadas onde pode ficar a perceber a dinâmica do mercado cervejeiro em Lisboa.
O mercado de cerveja artesanal propriamente dito acontece no Jardim do Torel de 21 a 23 de Setembro com a presença de 15 cervejeiros, entre eles a Musa, Dois Corvos, Oitava Colina, Travo, Lince, Loba ou Ballute. O bilhete equivale a um copo reutilizável (3€) para encher durante todos os dias do festival. O resto do consumo fica por sua conta.
E, tal como tem acontecido com as restantes edições, a organização prepara-se para a 3.ª Beer Mile, a 22 de Setembro, uma prova que acontece em torno da Praça de Touros do Campo Pequeno e que desafia os participantes a percorrerem pouco mais de um quilómetro e meio com pausas a cada 400 metros para beber cerveja – já estão inscritas mais de 200 pessoas, sendo que pode fazer a sua inscrição aqui. Os vencedores masculinos e femininos vão levar para casa o seu peso em cerveja.
Vários locais de Lisboa. 15-23 de Setembro. 3€ (mercado de cerveja), 10€-15€ (Beer Mile).

Podem acompanhar tudo aqui:
https://filipemiguel.blog