Dia do Podcast – Brasil

O Dia do Podcast é uma iniciativa nacional para promover o podcast brasileiro por meio das redes sociais. No dia 21 de Outubro use #DiadoPodcast.
No dia 30 de Setembro de 2014 foi comemorado o primeiro #PodcastDay nos Estados Unidos. Essa ação foi criada pelo podcaster americano Steve Lee (Netcast Studio) e visa propagar a mídia para o mundo inteiro, atingir o máximo de pessoas possível. Em apenas um ano de existência, o PodcastDay conseguiu um alcance muito maior do que eles mesmo esperavam.
O Dia do Podcast é dedicado a promover todos os podcasts em todo o Brasil através do engajamento de seu público por todas as redes sociais. Você pode estar se perguntando:
“O que eu posso fazer para ajudar?”.
Há tantas coisas que podemos fazer, mas antes de tudo temos que iniciar a conversa.

O que é Podcast?
Assim como a TV, o rádio e o jornal, o podcast é uma mídia de transmissão de informações, porém a origem da mídia podcast é muito recente.

Mas o que é Podcast?
Explicação simples: O podcast é como um programa de rádio, porém sua diferença e vantagem primordial é o conteúdo sob demanda. Você pode ouvir o que quiser, na hora que bem entender. Basta acessar e clicar no play ou baixar o episódio.

Explicação mais completa: O podcast é um conteúdo de mídia (geralmente áudio) transmitido via RSS por meio de assinatura. Isso mesmo, você pode assinar um podcast e recebê-lo sempre que houver um episódio novo. Mas você não precisa se preocupar com isso, existem aplicativos para todas as plataformas que simplificam este processo para você.

Temas: Os temas são os mais abrangentes possíveis: Cinema, TV, Literatura, Ciências, Profissionais, Política, Notícias, Games, Culturais, Religiosos, Educacionais, Humorísticos, Musicais, Esportivos… Ufa! De tudo se aborda em podcast e ainda há espaço para muito mais.

História do Podcast
O podcast é uma mídia da cibercultura em formato de áudio. Vem conquistando grande espaço na Web 2.0, especialmente com relação à produção de informação e às suas potencialidades comunicacionais e educativas. Além disso, também subverte a questão do receptor passivo ligado às mídias de massa tradicionais. A partir de uma origem fortemente tecnológica, o podcast teve um desenvolvimento voltado a facilitar sua produção e distribuição, permitindo que qualquer pessoa se torne potencialmente receptor e emissor, tornando a difusão de informações mais democrática. Por se tratar de uma mídia relativamente recente, pouco ainda foi pesquisado e muito pode ser desenvolvido sobre o tema.

Origem
Em 2004, a distribuição de arquivos com “programas de áudio” não era novidade. Contudo, para um internauta ouvir um desses arquivos, precisava, a cada nova “edição”, acessar o site que o hospedava, fazer o download para seu computador e, só aí, ouvi-lo. Houve algumas experiências voltadas ao download automático de arquivos de áudio, mas geralmente ligadas a empresas que também eram responsáveis pela geração de conteúdo, buscando lucro direto.

Como havia dificuldade de lucrar com o sistema, essas experiências eram deixadas de lado depois de algum tempo. Com a profusão de aparelhos portáteis reprodutores de arquivos de áudio, notadamente os de formato MP3, surgiram várias novas ideias de como automatizar o acesso ao conteúdo de audioblogs e demais programas de áudio. O método que mais teve sucesso foi a possibilidade desse download ocorrer automaticamente através de programas chamados “agregadores”, utilizando uma tecnologia já empregada para blogs: o RSS (Really Simple Syndication).

O RSS é uma maneira de relacionar o conteúdo de um blog de forma que seja entendido pelos agregadores de conteúdo. Isso é possibilitado através dos chamados “feeds”,que trazem o conteúdo do blog codificado de maneira que esses programas compreendam e possam apresentar as atualizações automaticamente para os usuários que cadastraram o feed de seus blog preferidos. Com isso, o usuário recebe cada novo conteúdo automaticamente, não precisando mais visitar cada site para ver se já foi atualizado (GEOGHEGAN; KLASS, 2007). Para que o RSS também funcionasse com arquivos de áudio, foi necessário criar um “enclosure”, maneira de se anexar um arquivo a um RSS, apresentando o endereço onde ele está hospedado para que o agregador faça seu download automaticamente.

Em 2003, Dave Winer criou esse “enclosure” para que o jornalista Christopher Lyndon pudesse disponibilizar uma série de entrevistas na internet. Segundo Mack e Ratcliffe (2007), esse sistema só foi utilizado da forma como entendemos hoje como podcasting em 2004, quando Adam Curry desenvolveu uma forma de transferir o áudio disponibilizado através do RSS para o agregador iTunes a partir de um script de Kevin Marks. Essa forma de transferir o áudio criada por Curry foi chamada de RSStoiPod (já que o agregador iTunes é utilizado para sincronizar arquivos de áudio do computador com o iPod) e foi disponibilizada para que outros programadores a utilizassem livremente.

A partir daí, vários outros agregadores começaram a fazer o download automatizado de arquivos de áudio. Esse sistema foi denominado podcasting. O nome fora sugerido em fevereiro de 2004 por Ben Hammersley, no jornal The Guardian, para definir a forma de transmissão das entrevistas de Lyndon e acabou sendo adotado posteriormente para o novo sistema de transmissão de dados. Embora faça referência direta ao iPod, o podcasting não ficou limitado a esse reprodutor de mídia digital, sendo desenvolvidas posteriormente formas de associá-lo a quaisquer aparelhos. Os programas de áudio distribuídos através do podcasting passaram a ser denominados podcasts.

Podcasting no Brasil
No Brasil, segundo Silva (2008), o primeiro podcast foi o Digital Minds, de Danilo Medeiros, iniciado em 21 de outubro de 2004. O programa surgiu a partir do blog homônimo, devido ao desejo do autor em se diferenciar dos blogs que existiam então. Embora vários blogs brasileiros publicassem arquivos de áudio, esses arquivos não se caracterizavam como podcast pela impossibilidade de se assinar o programa via RSS. Em 15 de novembro do mesmo ano, surgiu o Podcast do Gui Leite, criado pelo podcaster que dá nome ao programa. Na primeira edição, foi explicada a intenção de se fazer o podcast para testar esse tipo de tecnologia. É o mais antigo podcast brasileiro que ainda é produzido regularmente.

Em dezembro de 2004 ainda surgiram os podcasts Perhappiness, de Rodrigo Stulzer, e Código Livre, de Ricardo Macari, respectivamente nos dias 3 e 13. No ano seguinte, vários outros programas estrearam, muitos inspirados nesses primeiros representantes brasileiros na mídia podcast. Em 2005 foi organizada a primeira edição da Conferência Brasileira de Podcast (PodCon Brasil), primeiro evento brasileiro dedicado exclusivamente ao assunto, nos dias 2 e 3 de dezembro em Curitiba, Paraná. O evento foi organizado por Ricardo Macari e patrocinado pela Kaiser e Eddie Silva. Durante a PodCon 2005, foi organizada a Associação Brasileira de Podcast (ABPod), tendo sido indicado para presidente o podcaster Maestro Billy, aceito por unanimidade. Contudo, apesar do promissor crescimento da mídia podcast, ainda em 2005 ocorreu o chamado “podfade”: o fim de vários podcasts no Brasil e no mundo pelas mais diversas razões.

O fenômeno continuou até o início de 2006, adiando projetos como o Prêmio Podcast e novas edições da PodCon. Em meados de 2006, com poucos remanescentes da “primeira geração” de podcasters ainda publicando, vários novos podcasts surgiram e a mídia voltou a ter um crescimento, especialmente a partir de 2008, quando o Prêmio iBest, então um dos principais prêmios brasileiros voltados à internet, incluiu a categoria “podcast” para julgamento exclusivo por voto popular, tendo como vencedor o Nerdcast, seguido por Rapaduracast e Monacast, todos representantes dessa “nova geração” (os dois primeiros surgiram em 2006 e continuam sendo produzidos regularmente, já o Monacast foi produzido entre janeiro de 2008 e setembro de 2009).

Também em 2008 foi realizada a primeira edição do Prêmio Podcast, organizada por Eddie Silva, sendo a primeira premiação exclusiva para podcasts, com várias categorias de votação popular e júri oficial, recebendo grande divulgação nos próprios podcasts. O prêmio Best Blogs Brazil, especializado em premiar blogs, também acrescentou a categoria “podcast” em sua edição de 2008, tendo como vencedor o podcast Mondo Palmeiras, dedicado ao time de futebol que dá nome ao programa.

Por fim, em 2008 também houve a primeira edição da PodPesquisa, a primeira ação voltada a analisar o perfil dos ouvintes brasileiros de podcast. A pesquisa contou com 436 respostas e foi novamente realizada em 2009, dessa vez com 2.487 questionários válidos. Em 2009, vários novos podcasts surgiram e a tendência é de crescimento, embora haja preocupações sobre a possibilidade de um novo “podfade”. Um indicativo desse crescimento são os vários portais dedicados exclusivamente à divulgação de podcasts, como Meupodcast, Podpods e TeiaCast, que contam com centenas de programas cadastrados. Além disso, também foi ao ar em 27 de fevereiro o episódio piloto do Metacast, programa voltado exclusivamente para falar sobre podcasts, com dicas para iniciantes e questões técnicas gerais sobre o assunto, estimulando a criação de novos programas.

Podem acompanhar tudo aqui:
https://filipemiguel.blog

Dia do Podcast.jpg

Anúncios

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s