Fazes-me falta!

Fazes-me falta e ponto!
Não posso continuar a sonhar e muito menos a imaginar que estás ao meu lado sem Fazes-me falta!
Como uma expressão tão simples pode conter um sentimento tão poderoso, tão grandioso, tão profundo e tão cheio de sentir e de sentimento?
Sinto falta de algo construído, de chamar de meu (nosso).
Faz-me falta aquele lugar para onde eu possa voltar ao fim do dia. Aquele sonho, aquele lugar, aquele espaço no teu abraço.
A falta que me fazes, é acrescida das saudades que alimento para poder matar quando eu poder te olhar, quando puder te tocar e quando te puder sentir.
O importante é darmos valor à vida e aos nossos sentimentos. Às coisas mais simples do nosso dia a dia, pois a vida é só uma e devemos ser felizes na nossa maior parte do tempo.
Querermos ouvir um sonho é mais que uma necessidade vital para agarrarmos a vida com as mãos. É abraçar a falta que me fazes e que não procuro nunca substituir.

Faltas-me, que raios!
Fazes-me falta e ponto!
Não posso continuar a sonhar e muito menos a imaginar que estás ao meu lado sem estares.
Estou cansado! Muito cansado de levar a vida a sonhar.
Quero ver-te. Quero tocar-te. Quero ouvir-te. Quero sentir-te. Não quero continuar assim a imaginar-te e apenas sonhar contigo. Viver-te em realidade e não ter de sonhar-te apenas num sonho bom. E é tão simples assim!

Calculas o estado em que fico quando não te vejo? Quando te afastas e nada me dizes? Ou quando me tiras do sério em outras situações?
Serão propositadas?
Não sei! Apenas sei que me dás mais certezas sobre a falta que me fazes.
Não é justo para mim, nem para o meu o coração gerir tudo isto, todo este sentimento de amor ou abandono. É sentir uma enorme saudade que dói muito mais no mais profundo, ao ponto de chorar de tanto sentir a falta da tua presença e de tantas saudades de ti. É um nó e um aperto no coração que nos aperta e nos torna mais frios.
Esta falta que me fazes é monstruosa. Esta falta em que nos aperta o peito, que nos provoca falta de ar e que nos acelera o coração. Esta falta em que só existimos por completo quando não nos falta esta metade de nós. Esta metade de mim em ti e de ti em mim.

A falta que me fazes é descomunal.
Fazes-me falta para sorrir, para brincar e divertir-me contigo.
Fazes-me falta para falar contigo. De termos as nossas conversas sobre mim, de ti, de nós, do dia a dia, do mundo.
Fazes-me falta em todas coisas, em todos os lugares e em todos os momentos.
Fazes-me falta com a tua atenção, a tua dedicação, com o teu carinho, com o teu amor e com a tua preocupação.
Fazes-me falta ontem, hoje, amanhã e para sempre.
A tua ausência é notada e neste momento és falta de vida em mim.
E tu, também sentes a minha falta?

Filipe Miguel

Podem acompanhar tudo aqui:
https://filipemiguel.blog

Fazes-me falta!

Anúncios

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s