Dia do Armistício da Primeira Guerra Mundial – França

O armistício assinala o fim da primeira guerra mundial, que começou a 1 de agosto de 1914. Assinado por todos os beligerantes era assim suspensa a guerra e confirmada a vitória dos Aliados (Franceses, ingleses e americanos) sob a Alemanha.

São 11 horas do dia 11 de novembro. Todos os sinos tocam por anunciar o fim da guerra. Numa carruagem restaurante de um comboio estacionado na floresta de Compiègne, na Picardia, entre as 5h12 e 5h20, os generais alemães reuniram-se com os Aliados para assinarem uma convenção de paz, o armistício.

Principais causas do armistício
Nos três dias que precedem a assinatura do armistício, Aliados e alemães negoceiam um contrato humilhante para os derrotados. Estipula, entre outras coisas, o cessar-fogo imediato, a entrega por parte dos alemães de todo o material de guerra, da sua aviação e frota de guerra, a evacuação imediata dos territórios invadidos (Bélgica, França, Luxemburgo, Alsácia-Lorena) e a margem esquerda do Rhin (na Alemanha).

Consequências felizes e desastrosas do armistício
Devido ao seu caráter inédito e atroz, a Grande Guerra suscita na Europa uma vaga de esperança e de pacifismo: todos desejam evitar que este tipo de conflito se repita.

Em 1919, a Sociedade das Nações (antepassada da ONU) é criada para desanuviar as relações internacionais e privilegiar as relações de paz. Mas as cláusulas do armistício são muito duras para a Alemanha enfraquecida poder suportar. A crise económica e o crash da bolsa em 1929 abrem a porta a inúmeras contestações, onde se destaca o movimento nacional-socialista, ou movimento nazi.

Após o fim da guerra, os países que nela participaram reconstroem-se, as famílias fazem o seu luto e os soldados sobreviventes guardarão para sempre os horrores vividos na guerra.

Um balanço terrível
Chegou a hora de se fazer o balanço. As zonas onde estavam situadas as frentes da guerra estão devastadas. Tudo está para reconstruir. Humanamente, o balanço é dramático: cerca de 10 milhões de mortos e 20 milhões de feridos, dos quais 6 milhões estão inválidos. As populações civis contam com cerca de 4 milhões de viúvas e 8 milhões de órfãos.

Rostos desfigurados
De entre os soldados que sobreviveram à guerra, muitos regressam da frente com feridas graves. Alguns têm pedaços de obuses no corpo, outros estão amputados e muitos têm o rosto desfigurado. Para ajudar estes soldados a terem uma vida aceitável, os cirurgiões desenvolvem máscaras e próteses faciais adaptadas, fazendo assim a cirurgia reconstrutora evoluir.

O choque psicológico
O regresso à vida normal é muito difícil para os homens que regressam da frente, mesmo não tendo sido feridos. Com efeito, a guerra foi um grande choque psicológico para todos os combatentes e que agora sentem dificuldade em lidar com as perdas e com os horrores vividos durante a guerra. Para melhor suportar o sofrimento e partilhar recordações dolorosas, os ex-combatentes reúnem-se em associações.

Monumentos para os mortos
Nos anos 1920, por todo o lado são construídos monumentos de homenagem aos soldados mortos em combate. Em França, o sacrifício dos soldados é simbolizado pela flor centáurea azul e na Inglaterra por uma papoila.

Quem é o soldado desconhecido?
Se já foste a Paris, aos Campos Elísios, por baixo do Arco do Triunfo, viste provavelmente o túmulo do soldado desconhecido. Após a guerra, alguns corpos de soldados mortos estavam de tal forma irreconhecíveis que não puderam ser identificados. É o caso do soldado desconhecido: não se sabe o seu nome, mas foi enterrado, por baixo do Arco do Triunfo, para representar todos os soldados mortos pela França entre 1914 e 1918. Todos os dias, às 18h30, desde 1923, que antigos combatentes vêm reavivar a chama que se encontra no seu túmulo.

Em Londres, um soldado desconhecido está enterrado na Abadia de Westminster
E hoje, o que é que resta da guerra?
Faz este ano cem anos que começou a guerra e o ultimo combatente, um soldado inglês, faleceu em 2011. Não há mais ninguém para contar esta história. Para que nos recordemos destes acontecimentos, a história recorda os fatos, tira-os do esquecimento para que todos possamos refletir e aprender com as situações do passado.

Podem acompanhar tudo aqui:
https://filipemiguel.blog

Dia do Armistício da Primeira Guerra Mundial (França.jpg

Anúncios

Um comentário

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s