Dia do Psicopedagogo – Brasil

O “Dia do Psicopedagogo” foi instituído pela ABPp- Associação Brasileira de Psicopedagogia – na gestão de Nívea Maria de Carvalho Fabrício – 1999 – 2001 – em reunião do Conselho Nacional realizada no Colégio Graphein, em São Paulo.

A escolha da data – 12 de novembro – se deu para relembrar a fundação da Associação de Psicopedagogos de São Paulo, primeira entidade a congregar estes profissionais no país e que, em 1980, transforma-se na Associação Brasileira de Psicopedagogia, entidade que congrega, representa e divulga o conhecimento e a prática produzida pelos psicopedagogos e que, atualmente, está engajada no processo de legalização da profissão no país.

O objetivo de a ABPp ter instituído o “Dia do Psicopedagogo” foi o de divulgar a Psicopedagogia junto ao público em geral, colaborando para ampliar o alcance deste trabalho em todas as classes sociais. No Brasil, hoje ou nos próximos dias, são comemoradas as conquistas efetivadas pelos profissionais que se dedicam a estudar e a atuar sobre o processo de aprendizagem humana, os psicopedagogos.

Convém esclarecer que a Psicopedagogia ainda não é uma profissão regulamentada, mas já é uma ocupação no Brasil, pois faz parte da CBO- Classificação Brasileira de Ocupações – – família 2395 – o que garante a todos aqueles que atuam nesta área a credibilidade de suas ações. A CBO tem por finalidade a identificação das ocupações no mercado de trabalho para fins classificatórios junto aos registros administrativos e domiciliares.

A regulamentação profissional, entretanto, caminha a passos largos. O projeto de Lei 31/2010 que regulamenta a atividade de Psicopedagogia, de autoria da Deputada Federal Raquel Teixeira, foi aprovado pela Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado Federal. A profissão poderá ser exercida por graduados e também por portadores de diploma superior em Psicologia, Pedagogia ou Licenciaturas que tenham concluído curso de especialização em Psicopedagogia, com duração mínima de 600 horas e 80% da carga horária dedicada a essa área. Uma emenda assegurou ainda a inclusão dos fonoaudiólogos na lista de profissionais aptos a exercer a profissão, após a especialização exigida. Agora o Projeto terá que retornar à Câmara, para exame das modificações feitas pelo Senado. Houve ainda ajustes no texto para evitar conflitos de competência da nova atividade com outras profissões já regulamentadas.

Podem acompanhar tudo aqui:
https://filipemiguel.blog

 

Dia do Psicopedagogo

Anúncios

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s