Menu Início

Amores Clandestinos

“…
É no tear incessante da vida, que podemos tecer tudo o que somos, que podemos descobrir tudo o que podemos ser, que podemos entrelaçar cada fio da experiência para nos tornarmos as mais belas obras de arte viva à face da Terra. Com todas as cores mescladas, em puro movimento, a cada batida do coração.
…”

Filipe Miguel

3 Vivo e respiro pelo teu beijo do tamanho do sol Parte 2 Amores Clandestinos.PNG

Este texto foi retirado do livro “Amores Clandestinos”.
O livro já se encontra à venda nos locais habituais e em http://www.chiadobooks.com/livraria/amores-clandestinos

Anúncios

Categorias:Filipe Miguel - Escritor Literatura Livro Amores Clandestinos

Filipe Miguel

O que escrevo serve para expressar situações, momentos, sentimentos... do dia a dia de todos nós. Amores e desamores. Amores clandestinos...
Os textos aqui escritos não são autobiográficos. Mas podem ser biografias de mim e de muitos de nós, aqui e além. É neste pequeno véu que fica por levantar que se encontra a sublime sensação que o resto, o resto só a nós (seres apaixonados, românticos, sensíveis, loucos...) pertence!

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: