Dia de São Cirilo de Jerusalém

Cirilo de Jerusalém foi o bispo da Igreja de Jerusalém em sucessão ao bispo Máximo, no ano 348 d.C.
Ofereceu forte oposição ao arianismo, que negava a Trindade, ou seja, o conceito de um só Deus em três pessoas co-eternas e iguais — Pai, Filho e Espírito Santo — e preferia o paradigma de um só Deus absoluto, cujo Filho era Jesus, distinto, inferior ao Pai, gerado por e sujeito a ele e o Espírito Santo como sendo meramente o poder despersonificado de Deus.
É considerado grande Doutor e apologista da Igreja.

Vida
Pouco se sabe sobre sua vida antes do episcopado, a não ser seu nascimento em 315 d.C. Cirilo foi ordenado diácono pelo bispo Macário de Jerusalém em 335, e padre oito anos mais tarde pelo bispo Máximo. No fim de 350, ele sucedeu a Máximo na sé de Jerusalém.
Naturalmente propenso à paz e conciliação, Cirilo tomou de início uma posição moderada, adversa ao arianismo, mas de modo algum aceitando o termo homoousios (em grego: ?µ???s??? – “mesma substância”), ao contrário de alguns dos seus contemporâneos mais ortodoxos.
Separando-se de seu bispo metropolitano, Acácio de Cesaréia, um ariano, Cirilo ficou do lado de Eusébio de Cesareia, à “direita” dos conciliadores pós-niceanos. Isso só fez piorar a situação de Cirilo frente a Acácio. Um concílio sob influência dele depôs Cirilo em 358 d.C. e o forçou a se refugiar em Tarso.
Naquela época, ele foi oficialmente acusado de vender propriedades da igreja para ajudar os pobres, apesar de a real motivação parecer ter sido a de que Cirilo ensinava o credo de Niceia e não a doutrina ariana em seu catecismo.
Por outro lado, o Concílio de Selêucia, no ano seguinte, com Cirilo presente, depôs Acácio. Já em 360 d.C., no Concílio de Constantinopla, o processo foi revertido com a influência Tribunal Metropolitano, e Cirilo foi exilado por um ano de Jerusalém, até que o imperador Juliano permitiu-lhe regressar.
O imperador ariano Valente expulsou-o mais uma vez, em 367 d.C. Cirilo pôde voltar, mais uma vez, durante o reinado de Graciano, até sua morte em 386 dC. A jurisdição de Cirilo em Jerusalém foi expressamente confirmada pelo Primeiro Concílio de Constantinopla (381), em que ele esteve presente. Lá, ele votou pela aceitação do termo homoousios, tendo sido finalmente convencido de que não havia alternativa melhor.
Posição teológica
Embora sua teologia fosse inicialmente algo indefinida na fraseologia, Cirilo aderiu completamente à ortodoxia de Niceia. Ainda que ele evitasse o discutível termo homoousios, ele expressou seu sentido em muitas passagens, que exclui igualmente o patripassianismo, o sabelianismo e a fórmula “houve um tempo em que o Filho não existia”, atribuída à Ário. Em outros pontos, ele toma o terreno comum dos Padres do Oriente, como na ênfase que ele coloca sobre a liberdade da vontade , o autexousion (em grego: a?te???s???), e o fato de que ele não percebeu algo que era muito evidente no ocidente: o pecado. Para ele, o pecado é a conseqüência da liberdade, não uma condição natural. O corpo não é a causa, mas o instrumento de pecado. O remédio para ela é o arrependimento, alvo maior de sua insistência.
Como muitos dos Padres do Oriente, ele tem uma concepção essencialmente moralista do cristianismo. Sua doutrina da ressurreição não é tão realista como a de outros Padres da Igreja, mas a sua concepção da Igreja é definitivamente empírica: a forma existente da Igreja Católica seria a verdadeira, desejada por Cristo, a realização da Igreja do Antigo Testamento. Sua doutrina sobre a Eucaristia é notável. Se ele às vezes parece se aproximar o ponto de vista simbólico, em outros momentos ele chega muito perto de uma forte doutrina realista. O pão e o vinho não são elementos simples, mas o corpo e sangue de Cristo .
Catequese
Suas famosas vinte e três aulas de catequese (em grego: ?at???se??) que ele pregou – ainda presbítero em 347 ou 348 – contêm instruções sobre os principais temas da fé cristã e pratica, mais popularmente do que de uma forma científica, cheio de um amor e carinho pastorais para com os catecúmenos.
Cada palestra é baseada em um texto da Bíblia, e há uma abundância de citação bíblica por toda parte. Após uma introdução geral, dezoito palestras seguem para os competentes, e as cinco restantes são dirigidas para os recém-batizados, em preparação para a recepção da Eucaristia.
Estas orientações finais são chamadas de mistagógicas (em grego: µ?sta?????a?), porque eles lidam com os mistérios (em grego: µ?st???a), ou seja, os sacramentos do batismo, da confirmação e da eucaristia.
Paralelamente à exposição do credo como era então recebido na Igreja de Jerusalém, há vigorosas polêmicas contra os pagãos, judeus e hereges. Eles são de grande importância para mostrar como era o método de ensino da época, bem como as práticas litúrgicas do período, da qual eles dão a maior consideração existentes.

Oração de São Cirilo de Jerusalém:
Ó Deus,
que marcastes pela vossa doutrina a vida de São Cirilo de Jerusalém, concedei-nos, por sua intercessão, que sejamos fiéis à mesma doutrina, e a proclamemos em nossas ações.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso filho, na unidade do Espírito Santo. Amém

Podem acompanhar tudo aqui:
https://filipemiguel.blog

Anúncios

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s