Dia Mundial do Transtorno Bipolar

30 de março é o Dia Mundial do Transtorno Bipolar. Conhecendo a doença, combatendo preconceitos.
Muitas doenças acabam ganhando notoriedade, o que é importante para que mais pessoas cheguem ao diagnóstico. No entanto, essa exposição pode ser prejudicial, quando entram em cena o preconceito e desconhecimento com relação a alguns distúrbios. Esse é o caso do Transtorno Bipolar.
Muita gente já ouviu ou até mesmo já disse que determinada pessoa era “bipolar”, por causa das variações de humor, mas a doença, de fato, é bem complexa e traz bastante sofrimento a quem precisa conviver com ela.
Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), 60 milhões de pessoas vivem com Transtorno Bipolar. No Brasil, são cerca de 6 milhões de casos.
Para promover uma conscientização a respeito da doença é que 30 de março marca o Dia Mundial do Transtorno Bipolar. A data é uma referência ao pintor Vincent Van Gogh, um provável portador da doença.

O que é o Transtorno Bipolar
O Transtorno Afetivo Bipolar (TAB) é um distúrbio psiquiátrico, que provoca, grandes variações de humor, que variam de intensidade e duração, dependendo do caso. Não se sabe exatamente a causa da doença, mas existem fatores genéticos e ambientais que tem influência na manifestação do problema.
Os adultos jovens são os mais afetados, e a TAB está entre as enfermidades psiquiátricas que mais levam as pessoas ao suicídio.
No Transtorno Bipolar a pessoa varia entre um estado de euforia, agitação, irritabilidade, alta interação e autoconfiança – que os especialistas chamam de mania – para um outro depressivo, no qual há um quadro de desinteresse absoluto, tristeza, insônia, pensamentos suicidas, dificuldade de concentração, falta de apetite, entre outros.

Os vários tipos de Transtorno Bipolar
Existem vários tipos de transtorno bipolar. São eles:
Tipo I – Nesse tipo de transtorno, as variações de humor podem ser muito intensas, estendendo-se por semanas ou meses. Há comprometimento da qualidade de vida, prejuízos nas relações familiares e sociais, podendo chegar a necessitar de internação, por causa dos riscos de suicídio, principalmente;
Tipo II – No Tipo II os sintomas são mais leves e não comprometem tanto a vida do portador da doença;
Misto – Quando não é possível identificar o tipo de transtorno, ele é classificado com misto;
Ciclotímico – Tipo mais leve do transtorno bipolar, provoca alterações de humor, que podem até mesmo ser confundidos com o temperamento.

Diagnóstico
O diagnóstico do transtorno bipolar é complexo e pode demorar até 10 anos, pois há um risco de que seja confundido com outras doenças psiquiátricas ou até mesmo com a “personalidade” da pessoa.
Além disso, a descoberta do distúrbio é apenas clínica, não sendo possível fazer qualquer tipo de exame para chegar no diagnóstico.
No entanto, uma vez descoberta, é possível viver com qualidade de vida, convivendo com a doença.

Tratamento
Terapia, estabilizadores de humor, mudanças no estilo de vida são algumas das formas de tratar o distúrbio.
Vale lembrar que o transtorno bipolar não tem cura, mas pode ser controlado. Por isso é essencial procurar ajuda, caso desconfie de que possa ter a doença.

Conhecendo a doença, combatendo preconceitos
Bom, agora que você sabe que essa doença não é brincadeira, respeite e ajude as pessoas portadoras diagnosticadas ou suspeitas de haver esse distúrbio.
A saúde mental é uma riqueza de valor imensurável.

Podem acompanhar tudo aqui:
https://filipemiguel.blog

Anúncios

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s